Controlar a Dor

A dor é um fenómeno complexo e com variantes multidimensionais (biofisiológicas, bioquímicas, psicossociais, comportamentais e morais). São inúmeras as causas que podem influenciar a existência e a intensidade da dor no decurso do tempo, a primeira das quais é a que se identifica como presumível resultado duma agressão ou lesão.

Dor crónica – É uma dor prolongada no tempo, normalmente com difícil identificação temporal e/ou causal, que causa sofrimento.

Quando o corpo passa por uma situação causadora de dor, esta mensagem é enviada através do sistema nervoso até ao cérebro. A dor é útil no sentido de nos informar que existe algo que não está bem, a nossa acção permite muitas vezes eliminar a sua causa ou reduzir a sua intensidade.

AUTO-CONTROLO DA DOR

As técnicas de autocontrolo da dor podem ser de tipo comportamental e de tipo cognitivo, possíveis de serem realizadas pelo próprio doente.

Técnicas comportamentais – O relaxamento, pelos seus efeitos directos na tensão da musculatura – ao diminuir a hiperactividade muscular -, decresce, também, o agravamento e manutenção da dor;

Técnicas cognitivas – Distracção ou atenção dirigida – focar a atenção em algo que não seja a sua dor, como por exemplo ouvir música, ver televisão, ler. Este método pode reduzir a intensidade dolorosa ou aumentar a resistência à dor, tornando-a menos incómoda.